VOCÊ ESTÁ EM >> A HISTÓRIA DO PRÊMIO PRITZKER - O NOBEL DA ARQUITETURA

A história do Prêmio Pritzker - o Nobel da Arquitetura

PRÊMIO PRITZKER Anual Design preparou uma matéria que traz toda a história da maior premiação do segmento, o prêmio Pritzker.

Jay e Cindy Pritzker sempre acreditaram que uma premiação internacional reconhecida faria com que a arquitetura mundial evoluísse bastante, pois um projeto tentaria superar o outro. Dessa forma, o casal criou o The Pritzker Architecture Prize, prêmio hoje tido como o “Nobel” da Arquitetura. A semelhança com o grande “Nobel” tem fundamento: os criadores fizeram o programa do prêmio baseado nele. Além do reconhecimento, os vencedores de cada ano levam $ 100.000 dólares e um certificado formal. A família até hoje comanda o prêmio sob a direção da Hyatt Foundation, e a diretora é Marta Thorne desde 2005.


O casal Jay e Cindy Pritzker, criadores do prêmio Pritzker.

O Pritzker foi lançado em 1979. Em suas 35 edições, premiou 35 profissionais das mais diversas nacionalidades. México, Estados Unidos, Brasil, Irlanda, China, Áustria e muitos outros países figuram a lista de premiados. Mais abaixo, confira um pequeno resumo sobre cada um dos vencedores. O prêmio é concedido a profissionais ainda vivos e tem o principal intuito de prestar uma homenagem a estes arquitetos e seus projetos. Os atributos com mais peso na avaliação dos trabalhos que concorrem são galgados em três eixos: solidez, beleza e funcionalidade.


1979 – Philip Johnson (1906-2005)
O arquiteto norte-americano Philip Johnson é um mito e dono do primeiro prêmio Pritzker. O profissional foi selecionado por vários projetos, inclusive o da foto abaixo, a Glass House (Casa de Vidro). A residência foi projetada em 1949 para ser a própria caso do arquiteto, localizada em New Canaan, em Connecticut. A obra é uma das mais marcantes de sua carreira, uma vez que conseguiu fazer uma utilização intensa do vidro e do aço sem perder a funcionalidade. Além disso, há um aproveitamento do espaço natural da casa. Philip morou ali por 58 anos.


Casa de Vidro (1949), construída em Connecticut. A foto é de Richard Payne.

1980 – Luis Barragán (1902-1988)
O arquiteto Luis Barragán nasceu em Guadalajara, no México, e foi um dos profissionais mexicanos mais importantes do século XX. Sua arquitetura era única, recheada de emoção e beleza. Sua obra às vezes permite o estranhamento, a reflexão e, enfim, a contemplação do todo. Dentre os projetos selecionados para o prêmio está a própria casa, construída em 1948 e Patrimônio Mundial pela Unesco.


A casa do arquiteto, localizada na Cidade do México, no México. Foto: Barragan Foundation, Birsfelden, Switzerland/ProLitteris, Zurich, Switzerland.

1981 – James Stirling (1926-1992)
James  Stirling é conhecido por muitos como o profissional mais notável de sua geração. Ele nasceu em Glasgow em 1926 e se formou pela Universidade de Liverpool Escola de Arquitetura. Dentre suas obras mais conhecidas estão os prédios que fez para algumas universidades. Um dos mais famosos é este da foto abaixo, a Biblioteca de História da Universidade de Cambridge. Outros significantes projetos são o Edifício de Engenharia da Universidade de Leicester e os apartamentos de Ham Common.


A imponente fachada da Biblioteca de História da Universidade de Cambridge. 

1982 – Kevin Roche (1922-)
Kevin Roche nasceu em Dublin, na Irlanda, em 1922. Em 1945, recebeu o diploma de arquitetura da Universidade Nacional de Dublin. Fez um curso de extensão nos Estados Unidos no Institute of Technology, em Chicago. Dentre suas obras selecionadas para o Pritzker estão o design de interiores que fez para a sede da Ford Foundation, em Nova Iorque, em 1963, o projeto da foto. Dentre outros projetos de sua autoria estão o College Life Insurance Company, em Indiana, e o Centro de Artes da Universidade de Massachusetts.


O projeto da sede da Fundação Ford é de tirar o fôlego, tamanha vida que profissional conseguiu adicionar ao lugar. 

1983 – Ieoh Ming Pei (1917-)
Mais conhecido como I. M. Pei, Ieoh Ming Pei é um arquiteto nascido em 1917, na China, mas viveu grande parte de sua vida, e inclusive foi alfabetizado, nos Estados Unidos. Depois de formado, abriu seu próprio estúdio e executou grandes projetos ao longo da vida, como a Galeria de Arte Nacional de Washington DC. Pei ganhou extrema notoriedade na mídia quando assinou o projeto de extensão do Museu do Louvre, que consistiu na construção de uma pirâmide de vidro situada no pátio principal, em 1988.


Neste clique de Ezra Stoller/ESTO é possível observar a Galeria de Arte Nacional de Washington, projeto de Ieoh Ming Pei. 

1984 – Richard Meier (1934-)
O norte-aermicano Richard Meier foi um dos arquitetos mais jovens a receber o prêmio Pritzker. Na época, o profissional tinha 49 anos e já era autor de incríveis projetos residenciais. Um clássico exemplo é a Smith House, construída em 1967, em Darien, em Connecticut, no meio da floresta. Os espaços amplos com as grandes entradas de luz natural da casa fazem com que ela seja agraciada por iluminação natural o dia todo.


Nesta foto de Scott Frances/ESTO é possível observar um pedaço do majestoso projeto da Smith House, projetada pelo profissional em 1967. 

1985 – Hans Hollein (1934-)
Hans Hollein nasceu em 1934, em Viena, na Áustria. Desde o início de sua vida, quando começou a frequentar a escola, já notou-se um talento para o desenho. Ele se formou pela Academia de Fine Arts de Viena em arquitetura. O profissional é dono de um olhar bem peculiar e seu Pritzker selecionou alguns de seus melhores projetos, como o Museu de Vidro e Cerâmica, em Teheran, no Iraque.


O belíssimo Museu de Vidro e Cerâmica, de autoria de Hans Hollein, fica no Iraque. Foto: Heinz Wedewardt, Koeln.

1986 – Gottfried Böhm (1920-)
O arquiteto alemão Gottfried Böhm é de uma família de arquitetos. Seu pai tem o nome bastante conhecido na Alemanha por ter sido o autor de várias igrejas em todo o país. Gottfried é formado pela Universidade Técnica de Munique. Dentre os projetos que deram o Pritzker para o profissional foi o Museu da Diocese, em Paderborn, na Alemanha, obra executada em 1975.


A obra foi projetada em Paderborn, na Alemanha, e é assinada por Gottfried Böhm. A imagem foi cedida pelo escritório do arquiteto. 

1987 – Kenzo Tange (1913-2005)
O arquiteto que levou o prêmio Pritzker em 1987 foi o renomado japonês Kenzo Tange, bastante conhecido no Japão e um dos principais nomes na arquitetura do país. O profissional era multifacetado e atuava como professor, escritor, arquiteto e planejador urbano. Um dos fatos mais marcantes de sua carreira foi quando ficou por conta da reconstrução de Hiroshima, depois da Segunda Guerra Mundial. Dentre as obras de seu vasto currículo, uma de grande significado é o Museu Memorial da Paz, em Hiroshima.


O belo monumento do Museu Memorial da Paz é também símbolo de leveza e paz. Foto: Hartmut Pohling/japan-photo.de

1988 – No ano de 1988 foi feita a entrega de dois prêmios Pritzker:
Oscar Niemeyer (1907-2012) 
O brasileiro Oscar Niemeyer ganhou seu Pritzker em 1988. O arquiteto nasceu no Rio de Janeiro e formou-se pela Escola Nacional de Belas Artes (hoje UFRJ). Mais tarde, seria convidado pelo então presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek, a projetar os prédios da nova capital do Brasil, na época com previsão de ser construída no centro do país. Na cidade, o arquiteto assinou diversas obras, como o Congresso Nacional, o Palácio da Alvorada, o Supremo Tribunal Federal, a Catedral Metropolitana de Brasília, dentre outras. Na seleção pela qual foi indicado figuram construções como o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, no estado do Rio de Janeiro.


O belíssimo clique do Museu de Arte Contemporânea de Niterói foi feito pelo fotógrafo Frank Camhi.

Gordon Bunshaft (1909-1990)
Gordon Bunshaft é nascido em Buffalo, em Nova Iorque. Estudou arquitetura no Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Em 1939 chegou a ir para a Segunda Guerra Mundial, voltando em 1946. Depois deste episódio, tornou-se curador do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque. Dentre seus trabalhos, um dos mais memoráveis é o Museum and Sculpture Garden, localizado em Washington DC.


A responsável pela enigmática foto é Ezra Stoller, que mostra detalhes do Museum and Sculpture Garden, localizado em Washington DC. 

1989 – Frank Gehry (1929-)
O arquiteto Frank Gehry é um cidadão canadense naturalizado norte-americano. No campo profissional, Frank é bastante ousado em seus projetos, sendo identificável em seu trabalho o descontrutivismo. Uma de suas obras mais notáveis, e totalmente desconstrutivista, é o Guggenheim Museum, localizado em Bilbao, na Espanha.


Na foto de Luis M. Seco é possível observar as formas disformes de Frank Gehry. 

1990 – Aldo Rossi (1931-1997)
O italiano Aldo Rossi foi agraciado com o prêmio Pritzker no ano de 1990. Rossi era um distinto teórico, autor, artista, professor e arquiteto, conhecido tanto na Itália quanto no resto do mundo. O profissional foi, inclusive, comparado ao grande Le Corbusier e recebeu o apelido de “poeta que por acaso é arquiteto”. Dentre sua obra selecionada para o prêmio estão o cemitério de San Cataldo, em Modena, na Itália, construído em 1984 (foto abaixo) e o incrível Museu de Bonnefanten, em Maastrict, Noruega. 


Na foto do cemitério de San Cataldo é possível observar a simplicidade da construção, mas que, ao mesmo tempo, possui uma personalidade poética que incita a reflexão.

1991 - Robert Venturi (1925-)
O norte-americano Robert Venturi nasceu na Filadélfia, em 1925, e formou-se em Princeton. Mais tarde, estudou em Roma. Depois de voltar aos Estados Unidos, lecionou por 30 anos nas mais diversas universidades, como Yale, Princeton, Harvard, Universidade da Califórnia, Universidade de Rice e Academia Americana em Roma. Dentre as obras selecionadas para a vitória do Pritzker em 1991 está o Gordon Wu Hall, repaginação feita na Princeton University, em New Jersey, em 1983.


Departamento de Princeton, em New Jersey, que recebeu design de interiores de Robert Venturi. O espaço em questão é o Gordon Wu Hall, refeitório que abusa da madeira e da modernidade. Foto: Tom Bernard.

1992 - Álvaro Siza Vieira (1933-)
O português Álvaro Siza, nascido em Matinhos, é um dos arquitetos mais renomados de Portugal. Em 1992, ele conquistou o prêmio máximo da arquitetura. O profissional é mais conhecido como Siza Vieira, e, de sua vasta obra, as que mais se destacam e estão no material selecionado para o prêmio, são o complexo de casas Bouça, construído em 1973, no Porto, em Portugal, e a Central de Metereologia, em Barcelona, na Espanha, destaque da foto abaixo. 


O monumento Servei de Metereologia, em Barcelona, é imponente - uma das características principais do arquiteto, além do concreto aparente. Foto: epldp.com

1993 - Fumihiko Maki (1928-)
O arquiteto nasceu em Tóquio, em 1928, e foi colega de Kenzo Tange (o vencedor do Pritzker de 1987) na Universidade de Tóquio. Maki costuma definir-se como modernista, principalmente por usar bastante materiais como o metal, o concreto e o vidro, características marcantes da corrente moderna. Mas sua obra transcende um pouco a isso e ele é um pouco à frente de seu tempo, utilizando aspectos da tecnologia no design de seus projetos. Da sua ampla obra, podemos destacar o incrível Museu Nacional de Arte Moderna de Kyoto, em Kyoto, no Japão, construída em 1986. 



1994 - Christian de Portzamparc (1944-)
Christian de Portzamparc é um arquiteto francês e detentor do prêmio Pritzker em 1994. Christian formou-se na École Nationale des Beaux Arts em Paris e, desde então, seu trabalho tem sido referência devido ao seu toque artístico. Os projetos do arquiteto demonstram uma sensibilidade bastante apurada. Dentre inúmeras obras, uma delas é a sede do complexo cultural Cidade das Crianças, projetada pelo arquiteto e construída na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A School of Dance of the Opéra de Paris, na França, construído em 1987, é uma de suas obras mais marcantes.


Nesta foto de Nicolas Borel, as formas do belo prédio da School of Dance of the Opéra de Paris são ressaltadas à noite.

1995 - Tadao Ando (1941-)
Tadao Ando é um profissional de Osaka, no Japão. Duas curiosidades acerca da carreira deste arquiteto são interessantes: a primeira delas é que ele nunca chegou a receber nenhuma certificação formal de arquitetura, aprendeu tudo de forma autodidata, e o outro fato é que o dinheiro que ele recebeu do prêmio - os cem mil dólares - ele doou integralmente aos órfãos do Terremoto de Kobe, que levou pra sempre a vida de mais de 6400 pessoas. Uma de suas obras mais notáveis é o Museu de Arte Contemporânea de Naoshima, na ilha de mesmo nome, no Japão. 


Na imagem cedida pelo escritório Tadao Ando Architect & Associates, é possível ver um pouco do interior do Museu de Arte Contemporânea de Naoshima.

1996 - Rafael Moneo (1937-)
Rafael Moneo nasceu na pequena cidade de Tudela, em Navarra, na Espanha, em maio de 1937. Em 1961, obteve sua graduação em arquitetura pela Universidade de Madrid. Anos mais tarde, Moneo tornou-se professor de Harvard. Hoje, além de manter o cargo em Harvard (onde leciona durante 2 semanas na primavera), Rafael dedica-se também a debater arquitetura, atuando como conferencista, crítico e teórico da área. Em seu legado, uma das obras de maior destaque é a Estação de Atocha, em Madrid, na Espanha.


A Estação de Atocha foi construída no ano de 1992, com projeto do arquiteto Rafael Moneo, em Madrid.

1997 - Sverre Fehn (1924-2009)
Sverre Fehn foi um dos mais renomados arquitetos da Europa, reconhecido como um dos profissionais mais talentosos da Noruega. Ele nasceu em Kongsberg, em 1924, na Noruega, e se formou pela Escola de Arquitetura de Oslo, em 1949. Do seu legado, é possível destacar o museu-catedral The Headmark, construído em 1979 em Hamar, o Museu Glacial de Fjaerland e o Museu Aukrust (foto abaixo), em Alvdal, todos situados no país onde nasceu. 


Construído em 1995, o Museu Aukrust é uma das obras mais expressivas de Sverre Fehn.

1998 - Renzo Piano (1937-)
Renzo Piano é um arquiteto e político italiano nascido em Gênova, em 1937. Renzo é um dos defensores da arquitetura high-tech e sem dúvidas sua obra mais conhecida é o Centro Georges Pompidou, em Paris, um complexo cultural que abriga museu, biblioteca, teatros e outra dependências que dão espaço a manifestações culturais (foto abaixo). Além disso, assina o projeto do incrível Aeroporto Internacional de Kansai, localizado numa ilha artificial de 4,7 quilômetros de comprimento na Baía de Osaka, no Japão, com capacidade de atender até 100.000 passageiros por dia.


Neste clique de Michel Denancé, o Centre Pompidou, construído em 1977, em Paris, na França.

1999 - Norman Foster (1935-)
Norman Foster nasceu em Manchester, no Rio Unido, em 1935. Graduou-se em arquitetura pela Universidade de Manchester e logo em seguida fez mestrado na Universidade de Yale, nos Estados Unidos. Ele é o fundador e diretor da Foster and Partners, fundada em Londres, em 1967. O arquiteto tem reconhecimento mundial e obras em diversos lugares do mundo em seu currículo. Das mais notáveis, a futurista Torre Century Bonkyo-ku, construída em 1991, em Tóquio, no Japão (foto abaixo).


Pela foto é possível observar o quanto a construção tem uma pegada futurista, ainda que construída em 1991. Foto: Ben Johnson.

2000 - Rem Koolhas (1994-)
Rem Koolhas nasceu em Roterdã, nos Países Baixos, e morou quatro anos de sua infância na Indonésia, onde seu pai era diretor de um recém formado instituto cultural. Formou-se em arquitetura pela Architecture Association School, em Londres, e depois estudou em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Dentre sua obra, uma das mais notáveis é Educatorium, construído na cidade de Utrecht, na Noruega, em 1997. A estrutura é de metal e vidro, bem moderna, como pode ser visto na foto abaixo.



2001 - Jacques Herzog (1950-) e Pierre de Meuron (1950-)
Os arquitetos Jacques Herzog e Pierre de Meuron fundaram o escritório de arquitetura Herzog & de Meuron Architekten, em Basileia, na Suíça, em 1978. Ambos nasceram em 1950, e à época eram bastante jovens e muito bem encaminhados. A dupla ficou conhecida no mundo todo depois de criar obras como a Blue House em Oberwil, na Suíça, a Stone House em Tavole, na Itália, dentre outros. Na seleção de projetos feita pelo pessoal do prêmio Pritzker, ganhado pela dupla em 2001, está o incrível Museu de Küppersmühle, em Duisburg, na Alemanha.


Na imagem, uma parte do Museu de Küppersmühle, construído em 1999, na Alemanha. Foto: Margherita Spiluttini.

2002 - Glenn Murcutt (1936-)
Glenn Murcutt é inglês, filho de pais australianos, e nasceu em Londres, em 1936. Cresceu em Morobe, no distrito de New Guinea, lugar que o fez se apaixonar pelo simples e pela arquitetura mais primitiva. Marcutt se graduou na Univerisdade de Nova Gales do Sul. Foi seu pai o responsável por o introduzir ao estudo de filósofos e pensadores da arquitetura, como Ludwig Mies van der Rohe e Henry David Thoreau. Esses nomes viriam a influenciar sua forma de fazer arquitetura. Uma das obras selecionadas para o prêmio Pritzker de 2002 foi a Casa Simpson-Lee, em Nova Gales do Sul, na Austrália.


A Casa Simpson-Lee, na Austrália, mostra traços simples e é um convite ao convívio com a natureza, exaltada com o design do projeto. Foto: Glenn Murcutt mesmo.

2003 - Jørn Utzon (1918-2008)
Jørn Utzon nasceu em 1918, na Dinamarca. Formou na Academia de Belas Artes de Copenhagen em 1942 e desde então desenvolveu projetos incríveis ao redor do mundo. Uma de suas obras, inclusive, tem fama global e é um dos ícones que mais marcam Sydney e a Austrália: o Sydney Opera House. A construção colocou praticamente a Oceania no mapa, uma vez que conta com mais de 1000 divisões com as mais variadas linhas de entretenimento, do teatro à loja de recordações. A foto abaixo mostra a imponência da obra.



2004 - Zaha Hadid (1950-)
A arquiteta Zaha Hadid nasceu no ano de 1950, em Bagdá, Iraque. Ela começou no campo acadêmico cursando matemática na Universidade Americana em Beirut. Em seguida, mudou-se para Londres e faz arquitetura na Architectural Association. Dona de traços fortes e singulares, é uma das representantes do desconstrutivismo. Possui obras bem conhecidas, como o Vitra Fire Station, localizado em Weil am Rhein, na Alemanha. Além disso, continua envolvida com o meio acadêmico. Possui cadeiras e professora convidada das Universidades de Harvard, de Yale, de Illinois em Chicago, de Columbia e de Viena.


Nesta foto de Roland Halbe é possível observar a elegância do edifício do Centro de Arte Contemporânea Richard and Lois Rosenthal, projetado por Zaha, em 2003, em Cincinnati, Ohio.

2005 - Thom Mayne (1944-)
O norte-americano Thom Mayne nasceu em Westubury, Connecticut, em 1944. Viveu parte da infância em Indiana, e quando tinha 10 anos se mudou para Whittier, na Califórnia. Ele recebeu seu diploma pela Universidade de Southern California. É um grande admirador da corrente desconstrutivista e o detentor do prêmio Pritzker no ano de 2005. Dentre as obras selecionadas para o prêmio está o complexo de escritórios Centro Hypo Alpe-Adria, em Klagenfurt, na Áustria. A obra, construída em 2002, é dona de uma fachada bem peculiar. 


Foto: Christian Richters

2006 - Paulo Mendes da Rocha (1928-)
Paulo Mendes da Rocha é o segundo brasileiro a figurar dentre a lista de detentores do prêmio Prizker. Paulo nasceu em Vitória, no Espírito Santo, mas foi em São Paulo que fez carreira e viveu a maior parte de sua história. Formou-se arquiteto e urbanista pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, fazendo parte de uma das primeiras turmas da instituição. Dentre suas obras, uma das mais notáveis é o Clube do Atlético Paulistano, projetado em 1958, em São Paulo. 


Na foto do Clube do Atlético Paulistano, do fotógrafo José Moscardi, é possível ver um detalhe da construção que faz parte do clube.

2007 - Richard Rogers (1933-)
Richard Rogers é um arquiteto italiano naturalizado britânico. Estudou na Architectural Association School, em Londres. Depois, estudou durante um ano na Universidade de Yale, nos Estados Unidos. Ficou bem conhecido pela parceria com Renzo Piano (detentor do Pritzker de 1978) na construção do Centre Pompidou. Das obras mais conhecidas de Rogers destaca-se o belo edifício de Lloyd de Londres. A foto de Richard Bryant/Arcaid retrata a obra pela noite, e a iluminação exalta ainda mais sua beleza.



2008 - Jean Nouvel (1945-)
Jean Nouvel é um arquiteto francês graduado pela École des Beaux-Arts, em Paris. O profissional quebrou a estética moderna/pós-moderna e criou um estilo único, bem peculiar. Jean obteve reconhecimento mundial com a construção do Institut du Monde Arabe (IMA), em Paris, por sua fachada ser composta de celúlas fotoelétricas que se fecham e se abrem automaticamente. Dentre as obras selecionadas pelo prêmio Pritzker está o Centro de Conferência Cultural, em Lucerne, na Suíça. Com um design incrível, como se pode ver na foto abaixo, de Philippe Ruault, a construção é uma das mais marcantes de seu currículo.



2009 - Peter Zumthor (1943-)
Peter Zumthor nasceu em 1943, em Basileia, na Suíça. Estudou parte da vida no seu país de origem e depois em Nova Iorque. Desde 1996, ele tem sido professor da Academia de Arquitetura, na Universidade de Svizzera Italiana. É também professor-convidado da Universidade de Southern California, Universidade de Technische em Munique e na Universidade de Harvard. Das obras de maior destaque do currículo de Pete está o termas Bath Vals, em Graubünden, na Suíça, construção de 1996. 


Foto: Helene Binet

2010 - Kazuyo Sejima (1956) e Ryue Nishizawa (1966)
Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa fundaram o escritório Sanaa em 1995, em Tóquio, no Japão. O escritório e seus projetos deram à dupla a chance de levar pra casa o Pritzker de 2010. Ela nasceu em 1956 e ele em 1966, e ambos nasceram na grande Tóquio. Kazuyo recebeu seu diploma pela Universidade Japan Women enquanto Ryue graduou-se na Universidade Nacional de Yokohoma com mestrado em arquitetura em 1990. Juntos, ganharam alguns prêmios e desenvolveram diversos projetos. 


Nesta foto possível ver a imponente construção do Novo Museu de Arte Contemporânea de Nova Iorque, finalizada em 2007 e projetada pela dupla japonesa.

2011 - Eduardo Souto de Moura (1952-)
Eduardo Souto é o segundo português a figurar na lista do Pritzker. Ele nasceu em 1952, no Porto, em Portugal. Frequentou a Escola de Belas Artes de Porto e graduou-se em arquitetura depois de estudar um pouco de arte e escultura. Frequentemente o arquiteto é convidado a dar aulas em algumas universidades pelo mundo afora, como em Zurique e Estados Unidos. Além disso, Souto é professor na Universidade do Porto e professor-convidado em Geneva, Paris, Harvard e Dublin. Dentre a obra do arquiteto é possível destacar a Casa Cinema Manoel de Oliveira, construída em Porto, em 2003.


Nesta foto de Luís Ferreira Alves é possível uma pequena visão sobre o projeto incrível que é a Casa Cinema Manoel de Oliveira. 

2012 - Wang Shu (1963-)
O arquiteto e professor Wang Shu nasceu em 1963, em Urumqi, na China. Ele se formou em arquitetura em 1985 e seu título de mestre veio em 1988, ambos do Instituto de Tecnlogia de Nanjing. Das obras de maior destaque do profissional está uma que fica em evidência devido ao seu charme: a Casa de Cerâmica. A construção foi feita entre 2003 e 2006, em Jinhua, na China, e a foto foi clicada por Lv Hengzhong. Ele foi o primeiro arquiteto chinês, atuante no mercado do país, a ganhar o prêmio Pritzker.



2013 - Toyo Ito (1941-)
Toyo Ito é um arquiteto japonês formado pela Universidade de Tóquio. Sua arquitetura é considerada "conceitual", uma vez que busca expressar os mundos físico e virtual em suas obras. O profissional vem sendo frequentemente chamado de um dos arquitetos mais influentes e inovadores da atualidade. Dentre as diversas obras de seu legado, destaca-se a Torre dos Ventos (Tower of Winds), localizada em Yokohama-shi, em Kanagawa, Japão. A construção é de 1986 e a foto é de Tomio Ohashi.



2014 - Shigeru Ban (1957-)
Shigeru Ban nasceu em Tóquio, no dia 5 de agosto de 1957, e é um dos arquitetos japoneses mais influentes dos últimos tempos. Depois de graduar-se na Universidade de Artes de Tóquio, o profissional estudou no Instituto de Arquitetura do Sul da Califórnia e, mais tarde, na Escola de Arquitetura da Cooper Union. Neste ano, o japonês abocanhou o prêmio máximo da arquitetura. Ele é bem conhecido por provar que o papel pode ser utilizado enquanto estrutura, sendo tão resistente e funcional como o aço e concreto. Dentre sua obra, o que podemos destacar é o Centre Pompidou-Metz. A foto abaixo é do escritório do arquiteto.



2015 - Frei Otto (1925-2015)
O arquiteto e engenheiro estrutural foi o segundo alemão a receber o Pritzker, mas o primeiro homem a receber a homenagem postumamente. Seu traço futurista despontou nos anos 70 e seu legado produziu conhecimentos singulares no campo da grometria arquitetônica. Buscando técnica na engenharia da natureza, ele conseguiu feitos quase intagíveis para a época, tanto que 40 anos depois, ainda é celebrado como inovador e vanguardista da tendência contemporânea. 



2016 - Alejandro Aravena (1967-)
Com 48 anos de idade, o chileno cria projetos que reinventam a habitação de baixo custo e conseguem envolver os moradores na concepção de suas próprias casas. Aravena tem uma arquitetura prática, que chamou a atenção internacional em 2004 com um projeto que redefiniu a economia da habitação social. O desafio era para realojar famílias que se instalaram ilegalmente em meio hectare de terra no centro de Iquique, no norte do Chile. O resultado foi um grito longe das lajes tradicionais de blocos de habitação social nas proximidades. 



2017 - Carme Pigem, Rafael Aranda e Ramon Vilalta (RCR Arquitectes)
Os três arquitetos catalães Carme Pigem, Rafael Aranda e Ramon Vilalta foram nomeados vencedores do Prêmio Pritzker 2017. Nascidos em Olot, na Espanha, os três trabalham juntos desde 1988 à frente do RCR Arquitectes. Os projetos do trio se destacam principalmente por suas técnicas construtivas, com uso de cor, luz natural e transparências. Em sua 39ª edição, essa é a primeira vez que o Pritzker é concedido a um trio de profissionais.  


 

Anual Design

A matéria pode ser acessada na http://anualdesign.com.br/blog/7220/premio-pritzker/