VOCÊ ESTÁ EM >> CONSTRUÇÃO CIVIL SEGUE EM EXPANSÃO NA CIDADE

Construção civil segue em expansão na cidade

Prédios residenciais cresceram 110%, segundo a secretaria de Planejamento

O mercado da construção civil em Franca, nos últimos anos, tem registrado um constante crescimento, mesmo com a insegurança sentida pelos brasileiros nos cenários político e financeiro do país. A busca pela casa própria e as facilidades de financiamentos vêm atraindo cada vez mais pessoas a investirem na compra de um imóvel. Dados divulgados da Secretaria de Planejamento Urbano da Prefeitura, referentes ao primeiro semestre deste ano, apontaram um crescimento de até 110% nas solicitações de alvarás e a aprovação de projetos, se comparado ao mesmo período de 2016.

A maior alta ficou por conta dos prédios residenciais com dois pavimentos e quatro apartamentos. Até junho desse ano, foram aprovadas 251 solicitações contra 119, em 2016. Um aumento de 110%. Já as construções para uso misto, residência/comércio, ficaram entre 66 projetos para este ano, contra 54, do ano anterior, um reajuste de 22%. Ainda segundo a Prefeitura, os projetos para a construção de residências tiveram alta de 15%, no primeiro semestre deste ano. Até junho, foram aprovadas 1284 solicitações, contra 1107, em 2016. Os projetos destinados a estabelecimentos comerciais aparecem com 89 solicitações de aprovação de alvarás contra 83, do ano passado, representando um aumento de mais de 7%. A região Oeste da cidade é a que concentra o maior número de construções.

Para o economista, Deyvid Silveira, mesmo com a insegurança da economia brasileira, os francanos têm buscado investir na compra de seu imóvel, aproveitando as facilidades de financiamentos, com taxas de juros convidativas, somadas a projetos populares. “O que a gente tem percebido é que a construção civil na cidade está em plena expansão, onde as famílias estão deixando o aluguel para investir na compra de seus imóveis, fortalecendo a economia da cidade e a geração de empregos”, ressaltou.

Silveira comentou que o crescimento constante nesse setor movimenta e muito a economia da cidade, com o comércio de materiais de construção, contratação de profissionais envolvidos nos projetos e os prestadores de serviços, como mestres de obras, pedreiros, encanadores, eletricistas e pintores. De acordo com a Sala do Empreendedor da Prefeitura, estão cadastrados hoje, na unidade, 1476 MEI (Microempreendedores Individuais), que prestam serviços de alvenaria, instalações elétricas e pintura.