VOCÊ ESTÁ EM >> A CASA É NOVA, MAS TEM HISTÓRIA! - PROJETO DANIELA MESTRES

A casa é nova, mas tem história! - Projeto Daniela Mestres

A arquiteta Daniela Mestres abre as portas para a Obra Prima e revela sua casa: um espaço extremamente acolhedor, porém prático e funcional.

A máxima “casa de ferreiro, espeto de pau” definitivamente não se aplica a essa obra de Daniela Mestres: a sua própria residência. Pelo contrário, o lugar onde mora a arquiteta reúne o melhor da experiência adquirida ao longo de sua carreira, em termos de beleza, funcionalidade e economia. Sem abrir mão de objetos e móveis de valor sentimental, ela conseguiu compor o antigo com o novo de forma leve, limpa e moderna –  o que pode ser percebido já na fachada. “Busquei identidade, a minha identidade, assim como costumo fazer com os meus clientes nos projetos arquitetônicos que realizo”, enfatiza a profissional.


Segundo Daniela, grande parte dos amigos que a visitam se surpreendem com a cobertura e exclamam: – Ai que delícia, a sua casa tem telhado! “Embora eu goste da arquitetura contemporânea com telhado embutido, sempre quis que o meu fosse à mostra. Não aquele telhadinho 4 águas da casa da vovó, mas remodelado. Este tem, praticamente, dois grandes planos, mas ainda assim remete às casas tradicionais”.

Essa ideia de resgate acompanha a decoração de interior da residência, onde a arquiteta compôs um bom mix de móveis e objetos novos com peças cheias de história. É o caso da pechiché de sua avó paterna, no hall de entrada, e do carrinho de chá, da avó materna, na sala de estar. Um recaminier usado ganhou apenas uma boa limpeza, e duas poltronas de couro, desdenhadas na herança de família, deram um toque especial ao estar.


“Aproveitei os móveis que já tinha, mas nem sempre com a mesma função: o armário de época, que guardou as roupinhas da minha filha, hoje acomoda cristais e pratarias”, conta a arquiteta, referindo-se à peça que serve tanto a sala de estar como a de jantar. Pratos diversos decoram democraticamente o espaço da parede sobre o buffet. “Há desde uma porcelana inglesa, que foi da mãe de uma amiga querida, até um modelo comprado numa loja popular”, brinca Daniela
Na cozinha, a profissional buscou inspiração no estilo colonial americano. “Eu me apaixonei pela ilha. E a projetei exatamente na altura e distância apropriadas para o seu uso no espaço entre ela e a bancada. É mais prática do que uma mesa e ainda acomoda quase todos os eletrodomésticos, em seu interior”.


Fugindo mais uma vez do óbvio, Daniela evitou revestir toda a bancada, na área gourmet, deixando a estrutura lateral de tijolos à vista – o que resultou em leveza e economia. Sua outra inovação foi trazer a moldura externa da janela para dentro de casa. Um charme à parte. Pintadas de branco, contrastam perfeitamente com o Greige das paredes – uma tendência de cor em alta, que mistura cinza e bege. “Esse tom foi outra referência das casas americanas”, revela.
O ponto alto da escada é o lustre, visível da rua através da janela, especialmente quando aceso. Muito original, foi arrematado numa das viagens de garimpo da arquiteta.  “Tudo foi pensado nos mínimos detalhes. Na parte de baixo da escada, fiz um armário camuflado, onde eu guardo os álbuns da família”.


No piso superior, uma sala de TV dá acesso aos dois quartos das crianças e à suíte. Esta permite ao casal total conforto e privacidade. “O banheiro e o quarto estão localizados em extremos opostos, ligados por uma bancada dupla, de frente para o closed reservado. “Com isso, a tranquilidade é garantida, pois não é preciso circular pelo quarto para trocar de roupa ou escovar os dentes”.


Um espaço que não pode faltar em seus projetos residenciais de dois pavimentos é uma suíte no térreo. Sua casa não fugiu à regra. “Hoje, essa suíte funciona como escritório e lavabo, mas pode voltar a sua primeira função, quando for necessário”.


Jardins permeiam a casa, na frente, lateral e fundos. A entrada é ladeada por arbustos de lavanda, que enfeitam e perfumam. Nos fundos, Daniela trouxe mais uma boa lembrança da infância: a fruta no pé. Fez questão que o projeto paisagístico incluísse um pomar, onde a jabuticabeira se destaca.

 

 

 

 

FICHA TÉCNICA DANIELA

 

Projeto Arquitetônico:

Daniela Mestres

Juliana Marcolini

 

Rua Major Claudiano, 1984

Centro – Franca/SP

16 3721 4219                          

 

Projeto Estrutural: Conrado Engenharia e Construção 

Projetos de Instalação Hidráulica e Elétrica: Conrado Engenharia e Construção

Decoração: Marcolini e Mestres

Direção Técnica: Marcolini e Mestres

 

FORNECEDORES

 

Abece Gesso: Gesso

16 3703 8492

 

Ateliê Decor: Móveis

16 3703 3116

 

Art in Portas: Portas

16 99264 3734 | 3720 2004

 

Casa da Impermeabilização: Impermeabilização

16 3723 1715 | 3722 7141

 

Cenafer: Concreto, Fundação

16 3701 8244

 

FScott: Esquadrias

16 3720 2008

 

Hidromar: Aquecimento Solar, Louças (DECA), Luminárias, Lustres, Material Elétrico, Material Hidráulico, Metais e Acessórios (DECA e Perflex)

16 3713-2688

 

Mundial Pedras e Telhas: Cobertura, Telhado, Calçada (Pedra Portuguesa)

16 3705 0001

 

Norbertu’s: Tapetes

16 3727 2071 | 99278 7350

 

Paredes: Decoração

16 99122 5845 | 3409 3736

 

Ponto Bello: Revestimento (Portinari, Wallpaper)

16 3721 6939 | 34 3321 6939 | 35 3526 8600

 

Portobello Shop: Piso, Revestimento

16 3721 9910

 

Rocatto: Revestimento (Decortiles)

16 3012 3355 | 3713 1047

 

Stylo e Classe: Decoração

16 3705 1200